Meio Ambiente| Santiago completa 10 anos de trabalho na coleta seletiva

Meio Ambiente| Santiago completa 10 anos de trabalho na coleta seletiva

Diariamente, o município de Santiago gera cerca de 30 toneladas de resíduos domésticos, dos quais uma grande parte é classificada como reciclável. Graças ao trabalho incansável das cooperativas e associações compostas por famílias que atuam na reciclagem, esses materiais ganham uma nova vida ao invés de serem descartados de forma incorreta.

Neste ano de 2023, a Secretaria de Meio Ambiente completa 10 anos de incentivo e avanços na coleta seletiva e destinação correta dos resíduos sólidos domésticos. Desde 2013, quando a iniciativa foi implementada, a população abraçou a ideia e transformou hábitos, promovendo um impacto positivo no meio ambiente e na vida de muitas famílias.

Atualmente, duas associações regularizadas se destacam em Santiago: a Associação de Recicladores Profetas da Ecologia e a Associação de Catadores de Materiais Recicláveis. Juntas, essas associações reúnem 40 trabalhadores que encontram na reciclagem a fonte de renda para prover o sustento de suas famílias. "São verdadeiros heróis do meio ambiente, que realizam a separação dos materiais na Central de Triagem e transbordo de resíduos do município, além de atuarem no sistema de Coleta Seletiva porta a porta", afirma Andriele Martins Peruffo, secretária de Meio Ambiente.

Nesses 10 anos da coleta seletiva em Santiago, comemora-se não apenas a redução do impacto ambiental, mas também o valor social dessas ações, por meio do fortalecimento da educação ambiental. A coleta seletiva proporcionou às famílias de catadores regularizadas dignidade e oportunidades de trabalho. Além disso, a conscientização da população sobre a importância de separar corretamente o lixo em suas residências contribui para a construção de uma sociedade mais equilibrada e sustentável.

"Após uma década de dedicação, Santiago prova que pequenas atitudes cotidianas podem trazer grandes transformações. O compromisso em cuidar do meio ambiente e valorizar o trabalho dos catadores é o caminho para um futuro melhor, em que a coleta seletiva se consolida como um exemplo de responsabilidade e cidadania", considera.

Novos projetos
Nos últimos dois anos, a Secretaria de Meio Ambiente criou dois projetos que impactaram diretamente no trabalho da coleta seletiva. Primeiro, o Pila Verde, que faz a troca de materiais orgânicos por cédulas específicas e o Pila Azul, que faz o recolhimento de recicláveis, incentivando a separação do lixo, com foco na conscientização da população. A nova cédula se mostrou muito bem aceita pela população, obtendo mais de 20 toneladas de lixo em seus primeiro mês.

 


Texto: Andressa Bittencourt Delevati e Márcio Brasil/Prefeitura de Santiago